[ficção] Anjos na terra




Olá, anjos, tudo bem? O post de hoje é mais um texto ficcional de minha autoria. Espero que vocês gostem!


Eu, um anjo de asas transparentes, vestes brancas, aura azul, luz vinda das nuvens, observo atentamente as atitudes humanas. Sei bem como eles se sentem, como agem, como criam resistências, como sucumbem diante da dor. Sei de tudo, mas nada posso fazer para reverter totalmente o caos do mundo. Eu estudei o ser humano e sei tudo sobre ele. Não pensem que eu fico de braços cruzados lá do alto só olhando. Sou um anjo que vive na terra, embora ninguém consiga me ver. Vim por uma missão, mas sinto que estou falhando. Talvez você, leitor, não esteja entendendo muito bem o que eu quero dizer e aonde eu quero chegar. Estou aqui para acompanhar Suellen, uma bela mulher de trinta e oito anos, advogada, casada e infeliz. Ela tem vários problemas pessoais, de relacionamento e um sonho que eleva a sua alma quando ela deixa a esperança encostar em seu ombro. Sue não consegue alcançar o seu desejo por pura ansiedade, baixa autoestima, ausência de crença  e falta de apoio do esposo.

Eu, como um bom anjo enviado para uma missão muito importante, assoprei excelentes ideias, pensamentos inspiradores e tudo o que vocês podem imaginar para que Suellen saísse de sua emboscada: o mau casamento. Para essa união dar certo, ambos precisam mudar, evoluir como seres humanos e aprenderem a se respeitar.  Suellen deseja intensamente ser mãe, um sonho antigo, porém impossível, segundo os médicos. Para Deus é possível, eu também sei que ela realizará o seu sonho, mas ela não acredita. Tem um detalhe que você precisa saber: eu serei o bebê de Suellen. É a  minha missão ser carnal  por alguns bons anos e ensinar algumas lições de vida para esse casal.

Suellen fez péssimas escolhas em sua vida, a começar pelo casamento desastroso. Ricardo é egoísta e bruto. De qualidades, ele possui apenas a beleza e o porte atlético. Sue foi teimosa ao encarar esse casamento. Todos a alertaram durante o namoro: "Se você se casar com ele, sofrerá horrores. Termine enquanto há tempo." Ela dava de ombros e dizia: "Da minha vida cuido eu". Suas melhores amigas diziam: "Se ele te bateu uma vez e gritou com você várias vezes, acha que vai mudar quando se casarem?" Sue respondia, convicta: "Eu mudarei o caráter de Ricardo. O meu amor curará todas as feridas e seremos felizes". A mãe da moça chorava todos os dias  porque não podia fazer nada para impedir o casamento. Além do péssimo casamento, Sue se arrependera da faculdade que havia cursado. Ser advogada era um sonho de infância, mas a realidade era outra na prática. O que fazer agora? Outra faculdade? Quais caminhos seguir daqui para frente? Já se passaram tantos anos advogando, tão infeliz e frustrada. Daria tempo de reconstruir a sua história?

Não é fácil saber que meus futuros pais são tão teimosos. Terei um árduo e longo caminho a percorrer. Mas confesso que estou sem ânimo para levar isso adiante. Todas as minhas sugestões em forma de insights na mente de Sue foram ignoradas. Tudo o que fiz parece ter sido em vão. Dois anos perdidos? Cansei de fazer minha parte sozinho. Na verdade eu não vou nascer sozinho. Terei uma irmã gêmea, uma anja toda sardenta e ruiva totalmente espoleta. Éramos unha e carne no céu, mas ela mudou muito depois que descemos para essa missão aqui na terra. Ela desistiu de enviar os sinais para nossos futuros pais, vive voando por aí para ver outras coisas e acha que deveríamos encarnar assim mesmo e imediatamente, pois está cansada dessa lenga lenga. "Já que é para encarnar, que seja logo, oras!", ela sempre diz. Eu prefiro que eles se ajeitem primeiro como casal. Nossos pais tem livre arbítrio, por isso não tem muito o que fazer a não ser enviar os sinais, as inspirações... Depende só  deles: ter mais  fé,  esperança para que os sonhos sejam realizados, mais compreensão e  amor, ser  cúmplices um do outro  e tantos outros fatores... É, parece que a rotina e a descrença apodreceu o coração deles.

- Você parece que quer abandonar a missão,  estou enganada? Era para estarmos juntos nessa, esqueceu?
- Sim, querida futura irmã, mas acha que podemos nascer com eles desse jeito? Não somos anjos perfeitos, estamos em um nível intermediário de evolução. Como vamos ajudá-los? Acha que eles tem estrutura para gêmeos?
- Já fizemos a nossa parte e não deu certo. Lá se foram dois anos. Estou muito cansada disso tudo e com saudades do céu. Se é para cumprir a missão, que seja logo porque não aguento mais ficar assoprando ideias. Eles que se virem e aprendam sobre a vida com a maternidade e com a paternidade. Simples assim!
- Se bem que a Suellen já está com trinta e oito. Você tem razão, realmente não podemos esperar muito. Quanto tempo acha que podemos fazer isso? Ah, e sem brigarmos, viu? Se em dois anos como anjos amigos estamos brigando feito cão e gato, imagine como irmãos, hein?
- Pois é! Segundo nosso superior, as vidas de nossos futuros  pais serão transformadas de modo extraordinário. Uma fé inquebrantável nascerá naqueles corações. Ricardo mudará da água para o vinho com a paternidade e algumas dificuldades financeiras. Teremos vidas longas com nossos pais, então se está com saudades do céu como eu estou, já vai se acostumando com a ideia de voltar para lá daqui a setenta anos ou mais.
- Parece que o sofrimento e o amor pelos filhos mudará a alma deles. Passarão a ser mais humildes, pacientes, benevolentes e cúmplices. Uma transformação e tanto, não? Fico inseguro porque observando os dois, parece algo tão impossível.
- Faremos parte de tudo isso. É algo tocante, realmente um exemplo de superação. Estamos juntos nessa?
- Hummm, vou pensar! Tô brincando! Bora encarnar para fazer parte da vida dessa gente, minha sardenta mais linda do céu e da terra.
- Bora lá, anjo azul.

Sete  meses depois, dois lindos bebês ruivos nasceram. Gabriel  e  Emanuela  eram os nomes deles. A mãe teve a intuição de decorar o quarto dos gêmeos usando o tema "anjos". O pai, incrivelmente emocionado com a gestação e com o nascimento, fez a sua primeira oração agradecendo ao anjo Gabriel pela sobrevivência dos bebês que nasceram prematuros e quase faleceram.  Parece que as sugestões, inspirações e ideias assopradas pelos anjos durante dois anos começaram a fazer efeito nas mentes e nos corações de Sue e Ricardo. Demorou, mas aconteceu... A linda mãe  sorria ao contemplar os seus dois pequenos milagres ali no berço... Céus, pareciam dois anjos!  Quem confia em Deus alcança grandes bênçãos, mesmo que essa fé nasça tardiamente.

(Autoria: Ana Paula dos Santos Borges)



Este post é uma blogagem coletiva do + QP (Mais que palavras), um grupo para nos desafiarmos quanto à escrita, estimulando a nossa criatividade. Cada blogueiro deve criar um texto seguindo o tema do mês de outubro: "Mas era para a gente tá junto nessa". O tema do mês passado foi  "Um dia chuvoso na cabana" Veja aqui o post. Confira outras postagens do tema em outros blogs:





0 comentários:

Se gostou do post, comente aqui =^.^= Ficarei muito feliz com o seu comentário! Responderei aqui mesmo embaixo do seu recadinho. Obrigada pela visita e volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...