[642 coisas] 119 - Atrás do balcão

Olá, queridos anjos, tudo bem? Sempre gostei de escrever, mas ultimamente estou gostando mais ainda  desses treinos literários e me arriscando  nisso com mais afinco. Hoje trouxe um texto de minha autoria para vocês, algo bem informal em forma de diálogo. Escolhi o tema  119 do projeto "642 coisas sobre as quais escrever" (mais detalhes no final do post). O tema escolhido consiste em estender uma "ação rápida" o máximo de tempo possível (por exemplo: pagar o café, conversar com uma atendente de internet, etc). Espero que se divirtam e boa leitura!




- Bom dia, minha senhora! O que vai querer?
- Bom dia uma pinóia! Senhora é a sua vó que deve ser tão esquisita como você aí atrás desse balcão horrendo. Aliás, você é feio pra caralho, hein? 
- Desculpa, senh.... quer dizer, "moça"! Estou apenas fazendo o meu trabalho que é servir bem as pessoas e tratá-las com educação. Por que tá me xingando?
- Trabalho? Só se for escravo! Olha para esse uniforme? Nunca prestou atenção nele?
- Você veio aqui para me xingar ou para beber ou comer alguma coisa? Não tô entendendo a sua atitude, muito menos essa agressividade. Sou apenas um funcionário, minha querida! Apenas isso! Não temos nenhum tipo de relação íntima e eu não te dei liberdade alguma para me tratar assim. Será que você tá me confundindo com alguém? 
- Querida???? O que sou sua? Uma periguetizinha que você encontrou no baile funk e trocou uns beijos melecados? Eca! Você deve beijar mal pra cassete. Aí você deu o seu telefone para ela,  mas ela nunca te ligou, certo?
- Ei, você tá passando dos limites! Eu tenho namorada, não sou rapaz de balada e odeio funk. Você tá descontrolada na TPM! Ah, acho que não, você tá é na menopausa, isso sim, porque tá muito velha para ficar de chico todo mês. Ou  então vai ver que todos os chicos da sua vida inteirinha subiram pra cabeça, só pode, véio!
- Idiota! Cretino! Filho de uma parideira desgraçada em dia de lua cheia! 
- Caramba, de onde você tira esses absurdos? Vou chamar o meu gerente para dar um cala-boca na senhora. Não dá nem para acreditar que isso tá acontecendo comigo aqui atrás desse balcão. Logo eu que sempre tratei as pessoas da melhor forma possível? Eu não fiz nada para a senhora me tratar dessa maneira. Era só o que me faltava isso tudo ser uma pegadinha do Malandro! 
- Vai continuar insistindo em meu chamar de senhora? Olha que você não sabe do que eu sou capaz. Posso pular atrás desse balcão de quinta e dar uma voadora esperta e certeira em você. Sou craque nisso! Que Malandro que nada, mané? Nem conheço esse sujeito!
- Rodoaldo! Rodoaldo! - gritou Pedro - Mariana, por favor, estou rouco e não aguento ficar gritando. Quero que chame o nosso gerente para resolver essa situação. Ele vai saber o que fazer com essa senhora sem noção.
- Na boa, Pedro, você é muito calminho. Eu no seu lugar já mandava tomar naquele lugar. Bom, vou lá correndo chamar o gerente - disse Mariana no ouvido de Pedro e em seguida soltou uma gargalhada. 

Minutos depois...

- O que houve, Pedro? A Mariana foi me chamar toda ofegante. Eu estava lá na parte de cima orientando o pessoal.
- Essa senhora me xingou de tudo quanto é nome e  eu não vou ficar perdendo meu tempo com ela. Logo logo outros clientes vão entrar aqui e presenciar esse xingamento todo. A reputação da lanchonete vai cair por terra porque daqui a pouco vou arrebentar a  cara dela. Sorte que ainda não chegou nenhum cliente além dessa aí, afff. Sorte mesmo, porque sempre tem cliente além da conta aqui!
- Senhor gerente, eu não xinguei o distinto rapaz. Sou dramaturga e apenas treinando o meu novo texto teatral com ele. Aliás, parabéns, meu caro, adorei a sua desenvoltura como ator. Está convidado para fazer parte do elenco. Ah, vou querer um café preto sem açúcar e um bolo de chocolate. Rápido, hein! preciso treinar o texto em todas as lanchonetes da cidade antes que...

O rapaz ficou boquiaberto sem saber o que responder depois dessa explicação absurda. Antes que o quê? A senhora preferiu não completar a frase, ah, antes que... Não interessa a eles. Então caminhou até a mesa, meio cambaleante, acomodou-se e ficou esperando o pedido. Todos os funcionários,  atrás daquele balcão, puderem observá-la melhor (antes só dava para ver o seu rosto). Como não a viram entrar? Que desligados! Mariana e Julia, as outras funcionárias, estavam preparando o café e cortando os bolos. E Pedro estava mandando uma mensagem para a sua namorada via Whatssap. Agora notaram os detalhes da velha senhora: ela usava uma pulseira branca no pulso esquerdo e dava para ver a ponta de sua camisola por baixo do sobretudo escuro que  vestia. Nos pés uma pantufa suja em formato de ursinho. Tirou o chapéu e dava para ver que ela estava totalmente descabelada. Ria de modo esquisito, gesticulava e falava sozinha....  Perceberam que se tratava de uma louca fugitiva de um hospício.

- Se essa aí é uma escritora, eu sou o próprio Shakespeare, Rodoaldo!
-  Vai ver ela acha que é a própria Virgínia Woolf, ora bolas. Deixa ela acreditar. 

Todos riram do incidente e deixaram para lá. Rodoaldo, por cortesia à insanidade que ninguém está livre de adquirir,  nem cobraria pelo café e pelo bolinho. Antes quê? Agora eles entenderam o recado. Antes que a equipe do hospital descubra a fuga e ela tenha que voltar imediatamente para lá.  

(Autoria: Ana Paula dos Santos Borges)



---------------


O projeto "642 coisas sobre as quais escrever" consiste em apresentar uma infinidade de temas para os amantes da escrita se aventurarem em seus textos, saindo de sua zona de conforto, pois terão que usar a criatividade em seus textos com temas que até então nunca haviam cogitado. Um desafio e tanto! Se quiser ler o tumblr do projeto clique aqui.

Até o próximo post! 

10 comentários:

  1. Hahahaha eu nem costumo ler textos assim mas adorei hahahaha você conseguiu me deixar curiosa para chegar ao final e quando eu cheguei simplesmente achei super criativo! Mandou super bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kamii! Hahaha que bom que ficou curiosa e leu até o final. Feliz por ter gostado! Obrigada, flor!! Beijinhos!!!!

      Excluir
  2. Nossa, Ana! Ficou MUITO bacana! Intrigante e cativante o tempo todo! Surpreendente o final! Adorei! [Aplausos!] ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida! Adorei saber que você gostou. Obrigada! Super beijo

      Excluir
  3. hahahaha que surpresa! No começo fiquei sem entender nada, gostei bastante da reviravolta. Ficou muito bom, Ana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Johnny! Fico feliz que tenha gostado do diálogo e do final. Obrigada! Bjsss

      Excluir
  4. Hahahahaha, e eu, hein! Se fosse eu, ja tinha deixado a pessoa falando sozinha na segunda linha de "insulto". Daí que eu nunca seria convidada... xD
    Muito engraçado seu texto, muito bom!
    Queria ter essa pegada pra comédia, acho divo!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lady! Fico feliz que tenha gostado do texto. De vez em quando da a louca em mim e escrevo alguns textos humorados. Hehehehe! Super beijo

      Excluir
  5. Wow, que diferente! Amei o final, hahaha. Beijos!
    www.dreamsinparis.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jessika! Oba, fiquei mega contente em saber que gostou do final. Beijocas

      Excluir

Se gostou do post, comente aqui =^.^= Ficarei muito feliz com o seu comentário! Responderei aqui mesmo embaixo do seu recadinho. Obrigada pela visita e volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...